Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/754
Título: Registro eletrônico de saúde: dos moldes tradicionais a padronização proposta pela Fundação openEHR
Autor(es): Guimarães, Rodney Nascimento
César, Hilton Vicente
Gonçalves, Marcelo Albano Moret Simões
Souza, Josemar Rodrigues de
Alves, Domingos
Palavras-chave: Saúde - Registro eletrônico
Prontuário eletrônico
Registro eletrônico
Interpolaridade
OpenEHR
Computação ubígua
Data do documento: 2013
Editor: Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC
Resumo: O raciocínio clínico é essencial a atividade do profissional médico. Embora o desempenho médico seja dependente de inúmeros fatores, seu resultado poderá ser comprometido caso não disponha de todas as informações sobre o paciente. A eficiência e a qualidade do atendimento dependem diretamente da análise e síntese adequadas dos dados, da qualidade das decisões envolvendo riscos e benefícios dos testes diagnósticos e do tratamento. As pesquisas realizadas nas disciplinas: informática médica e ciência da computação, têm fornecido uma ampla visãoo sobre o conhecimento necessário para o desenvolvimento de soluções na área de saúde. Com base nas investigações realizadas, foi possível através de um acordo de cooperação técnico-científico com a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (SCMSP), a elaboração de um registro eletrônico de saúde (RES) nos moldes tradicionais. O desenvolvimento do RES contemplou a utiliza çãoo de dispositivos móveis, um dos pilares da computação ubíqua, para realizar: o cadastro de informações no leito do paciente e a possibilidade de acesso a informações a distância para discussão de casos. Durante esta etapa foi realizado levantamento de requisitos, análise e metodologia baseada na Unimed Modeling Language (UML), uma linguagem de modelagem de propósito geral padronizada na area de engenharia de software. Com isso foi possível informatizar as fichas clínicas do prontuário do paciente e modelarmos uma base de conhecimento para composição de um RES. Comparativamente a solução adotada a SCMSP foi utilizada uma modelagem em dois níveis proposta pela fundação openEHR para composição de um RES na unidade de saúde pública Fundação Lar Harmonia (FLH), localizada no estado da Bahia. Com a adoção desta modelagem e possível criar solu ções que promovam interoperabilidade entre as informações de saúde. A modelagem multinível permite que diferentes estabelecimentos médicos troquem informações de forma transparente. Desta forma, quando o paciente for realizar um serviço médico, tal como uma consulta, o prfissional de saúde saberá de antemão o histórico médico do paciente, o que hoje não é possível entre as unidades de saúde brasileiras, já que os sistemas e o conhecimento empregado são proprietários. A utilização do conhecimento colaborativo e a ampla gama de recursos clínicos disponibilizados pelo repositório desenvolvido pela Ocean Informatics proporcionou uma discussão com o grupo de pesquisa em tecnologias em saúde do estado da Bahia, desencadeando para o desenvolvimento multiní vel. A elaboração complementar da investigação foi realizada com a representação do conhecimento das observações clínicas, uma das instâncias propostas para dfinição do conhecimento pela fundação openEHR.
URI: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/754
Aparece nas coleções:Dissertações de Mestrado (PPG MCTI)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Hilton Vicente Cesar.pdf8.77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.