Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/445
Título: Um modelo coevolutivo de perpetuação das organizações sob a perspectiva da difusão de conhecimento, análise de redes sociais e sistemas adaptativos complexos.
Título(s) alternativo(s): SEMINÁRIO DE PESQUISA E INOVAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MODELAGEM COMPUTACIONAL E TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS E GESTÃO EM TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS
Autor(es): Lacerda, Rogério Vital
Sampaio, Renelson
Palavras-chave: Sistema cognitivo
Sistema adaptativo
Sistema complexo
Data do documento: 2015
Citação: LACERDA, Rogério Vital; SAMPAIO, Renelson. Um modelo coevolutivo de perpetuação das organizações sob a perspectiva da difusão de conhecimento, análise de redes sociais e sistemas adaptativos complexos. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA E INOVAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MODELAGEM COMPUTACIONAL E TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS E GESTÃO EM TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS, 2015, Salvador. Anais... Salvador: SENAI/CIMATEC, 2015. p. 46-51.
Resumo: O estudo sobre o conhecimento organizacional e a sua aplicação nas diversas áreas de negócio vem se tornando uma necessidade básica das organizações, uma vez que esse ativo – conhecimento – é tido como um dos mais importantes e necessários seja para a própria sobrevivência organizacional (sustentabilidade) seja para a sua perpetuação (continuidade e evolução), enquanto organismo inserido em um ambiente (segmento de mercado). Por outro lado, as organizações passaram a ser vistas como organismos complexos capazes de se adaptar ao meio e evoluírem. Esse trabalho tem o intuito de apresentar pontos de intersecção entre teorias de Gestão do Conhecimento e Análise de Redes Sociais e, utilizando a abordagem evolutiva de Sistemas Adaptativos Complexos, criar um modelo que aponte caminhos, consistentes e viáveis, capazes de induzir e incentivar o surgimento de políticas organizacionais que aumentem a chance de sobrevivência e perpetuação da organização, através do compartilhamento de competências fundamentais pela difusão e fixação de conhecimento em grupos de pessoas. Para tanto, apresenta a abordagem de criação e difusão do conhecimento organizacional, proposto por Nonaka e Takeuchi - Modelo SECI – que se baseia, em primeiro lugar, em poder definir e diferenciar dois tipos de conhecimento, o conhecimento explícito e o conhecimento tácito, o que permite realizar o entendimento de uma das duas dimensões, a chamada dimensão epistemológica. Adicionalmente, o modelo propõe como parte de criação do conhecimento, a própria mobilização e conversão do conhecimento tácito, que será ampliado nos diversos níveis organizacionais, representado a segunda dimensão que é a ontológica. Para explicar a dimensão ontológica, esse trabalho, investiga o processo de propagação e difusão do conhecimento intraorganizacional através da Análise de Redes Sociais – ARS - que vem se tornando uma importante metodologia para mapeamento e análise dos fluxos informacionais e das redes formadas pelas pessoas da organização. Após a identificação das redes, esse trabalho propõe um modelo computacional capaz de analisar, modelar e transformar, tais redes interpessoais, em organismos capazes de evoluir e, dessa forma, aumentar suas chances de sobrevivência.
Descrição: p. 46-51
URI: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/445
Aparece nas coleções:Artigos Publicados em Periódicos (PPG MCTI)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Um modelo coevolutivo ....pdf69.24 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.