Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/292
Título: Caracterização e interpretação da produção bibliográfica de PPG a partir de redes complexas
Título(s) alternativo(s): XLIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PESQUISA OPERACIONAL - SBPO
Autor(es): Andrade, Maria Teresinha Tamanini
Braga, Patrícia Freitas
Moret, Marcelo A.
Pereira, Hernane B. de B.
Palavras-chave: Conhecimento - Difusão
Comunidade científica
Redes complexas
Redes sociais
Data do documento: 2011
Citação: ANDRADE, Maria Teresinha Tamanini et al. Caracterização e interpretação da produção bibliográfica de PPG a partir de redes complexas. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PESQUISA OPERACIONAL – SBPO, 43., 2011, Ubatuba. Anais... Ubatuba: SBPO, 2011.
Resumo: O tema difusão do conhecimento se insere nesta pesquisa no conjunto de uma compreensão sobre a ciência universitária dinamizada pela relação recíproca e dialética entre a produção do saber e sua socialização comunicativa. A produção científica contemporânea faz parte da constituição e sobrevivência de qualquer grupo social em qualquer tempo e lugar. Ademais, relaciona-se com os processos de criação, organização, gestão, difusão e controle do conhecimento que desafiam nossa compreensão de como se relacionam esses processos com a complexidade cultural de fatores que envolvem sua difusão entre grupos de pesquisa e pesquisadores de instituições de ensino superior (IES). Neste contexto, a partir do estudo da interação dos fatores de ordem cultural (discursos, representações, motivações, normas éticas, concepções, visões e práticas institucionais e não institucionais acadêmicas ou não) que atuam nas dimensões grupal e individual das dinâmicas de produção e difusão do conhecimento dos pesquisadores em seus grupos de pesquisa, esta pesquisa propõe diagnosticar o modus faciendi dos pesquisadores de Programas de Pós-Graduação (PPG), enquanto parâmetro para compreender como se engendram os processos de produção e difusão do conhecimento no contexto acadêmico, de modo a desenhar um modelo de difusão do conhecimento para esse tipo de comunidade. A relevância inicial de nossa proposta se revela na consideração de que a difusão do conhecimento têm sido base da inovação e da produção de novos conhecimentos. Assim, propomos utilizar a Teoria das Redes Complexas e a Análise de Redes Sociais (ARS), como métodos quantitativos para identificar, caracterizar e interpretar as redes de colaboração de comunidades científicas universitárias. Os resultados preliminares indicam redes com as topologias small-world (i.e. redes propícias para maior articulação entre pesquisadores) e livre de escala (i.e. alguns pesquisadores congregam 2892 mais do que outros); o coeficiente de aglomeração médio (C) é alto e isso retrata uma situação onde existe uma forte interlocução entre os pesquisadores; o caminho mínimo médio (L) é baixo, o que sugere que o grupo de pesquisadores é ágil em relação ao acesso e contato entre si.
Descrição: p.2892-2893
URI: http://repositoriosenaiba.fieb.org.br/handle/fieb/292
Aparece nas coleções:Artigos Publicados em Periódicos (PPG MCTI)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Caracterização e interpretação ....pdf457.72 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.